sábado, 8 de agosto de 2015

Fora dos Grandes: João Ferreira (SR Catujalense)


Um desafio interessante para quem procura por jovens com potencial passa por acompanhar não apenas os Campeonatos Nacionais como também as competições distritais de formação, nas quais se podem descortinar perspetivas de qualidade para voos mais elevados. Por vezes basta uma oportunidade.


Poderá num futuro próximo ser esse o caso de João Ferreira, atacante de 16 anos (cumpre 17 no final do mês) que se encontra esta temporada de regresso ao clube no qual cumpriu praticamente a sua ainda curta carreira, o Catujalense, que desde o seu ingresso aos 8 anos explora com sucesso as suas características muito especiais para um jogador que compete nestas divisões inferiores.

Para já afastado da possibilidade de enfrentar os mais fortes conjuntos do seu escalão etário, João Ferreira apresenta-se como um invulgar caso de um extremo que alia a técnica ao físico, juntando evidentes atributos na condução de bola e 1x1 a uma já imponente condição física que o destaca dos demais, tornando-o muito forte jogando solto no ataque, pelo meio ou pelas alas mas com maior frequência pelas bandas.

A partir de arrancadas em velocidade e preparado para o choque com o adversário, o jovem jogador possui um estilo explosivo, uma forma de jogar que, salvaguardando-se as devidas diferenças, se assemelham às movimentações de Ricardo Quaresma, a quem é frequentemente comparado pelos
treinadores que vai encontrando.

Aliás, vem sendo esta capacidade física que desde uma fase precoce da sua formação o distingue junto dos seus adversários que vem fazendo com que desde cedo compita frente a oponentes de escalão etário superior com sucesso.

Versátil jogador representou na época passada o mais promissor escalão do Futebol Benfica.

Esse é claramente um aspeto positivo para a continuidade do seu desenvolvimento físico e técnico, que o torna também habilitado para jogar mais recuado sobre a posição 10 para dar largas à sua eficácia no passe e progredir na passada em apoio ao ponta-de-lança - poderá esta ser inclusivamente a posição mais indicada para o jovem atleta.

Como 10, extremo ou ponta-de-lança (pode também em caso de necessidade competir como defesa central pela estatura e condição física), João Ferreira apresenta virtudes pouco habituais nos Campeonatos Distritais da AF Lisboa, nos quais esta temporada entrará para a sua primeira temporada como júnior, muito embora já tenha terminado a época transata a treinar integrado na equipa de Juniores do Catujalense.

Apesar desse facto, o atacante não teve a oportunidade de alinhar de forma oficial nessa equipa em virtude de se encontrar na altura ainda inscrito pelos Juvenis A do Futebol Benfica, um conjunto que o ajudou a melhorar pelo facto de ter sido a mais forte equipa entre todas as que formaram as camadas de formação do ’Fofó’ muito embora o jogador tenha tido uma temporada difícil face às dificuldades que encontrou para estabilizar.

Depois de ter entrado na pré-temporada a marcar, inclusivamente perante Juniores de outros clubes, não mais João Ferreira voltou a concretizar, uma situação rara para o atacante que, enquanto Iniciado, há três temporadas, chegou mesmo a sagrar-se melhor marcador da I Divisão Distrital da AF Lisboa, muito embora tenha conquistado a titularidade sem grande esforço e tenha tido a sua importância para a equipa no registo das assistências.

João acabou por deixar o Fut. Benfica no decorrer da temporada por razões desportivas relacionadas com uma realidade diferente daquela a que estava habituado e um diferente estilo de jogo. Tanto quanto a adaptação futebolística, foi também motivos pessoais e acima de tudo de logística que levaram o jogador a optar pela saída.

Atleta suscitou um convite para disputar o Campeonato Nacional, mas deverá representar o Catujalense

Com efeito, as parcas condições de apoio neste momento existentes na formação do ’Fofó’ obrigavam João a deslocar-se desde o Catujal, localidade na qual sempre residiu, até Benfica por expensas próprias.

Essa era uma situação que se complicava quando o clube jogava como visitante, e muitas vezes pelas 9 horas, e acima de tudo durante a semana para frequentar os treinos, tendo em conta as obrigações escolares do jogador, que dessa forma apenas rumava ao seu domicílio a horas tardias.

Como tal, a escolha do avançado passou por regressar ao clube de origem apesar de ter sido convidado a manter-se no Futebol Benfica para ingressar esta temporada nos Juniores, juntando-se Loures, que esta temporada discute a 1ª Divisão do Campeonato Nacional, e Alta de Lisboa, que já nas últimas duas épocas havia demonstrado o seu interesse no atleta por iniciativa daquele que seria mesmo o seu treinador em Benfica, a um lote de interessados no jogador.

Ainda assim, João Ferreira deverá mesmo iniciar a temporada ao serviço do Catujalense, esperando no meio a que mais se encontra habituado recuperar a eficácia goleadora que o levou a ser convocado para representar a Seleção Municipal de Loures em Infantis, não chegando a jogar oficialmente por este conjunto que anualmente disputa o Torneio de Ponte Frielas pelo facto de o técnico que o orientava na altura não ver com bons olhos a sua partida, ainda que temporária.

O elevado equilíbrio das competições distritais poderá neste caso vir a ser muito benéfica para o jogador, que num passado recente foi alvo do interesse do Vitória de Guimarães e que apenas necessita de recuperar confiança e em pouco tempo poderá atingir patamares competitivos superiores.

Total de visualizações